O cotidiano de trabalho da estratégia saúde da família: entre o real e o ideal

Juliana Ferreira da Silva, Deborah Franscielle da Fonseca, Joseane da Silva, Selma Maria da Fonseca Viegas, Fernanda Moura Lanza

Resumo


Objetivo: Analisar o cotidiano do trabalho de equipes da Estratégia Saúde da Família. Método: Estudo de caso de abordagem qualitativa, realizado em 10 equipes da Estratégia Saúde da Família em um município de Minas Gerais com 39 profissionais. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevista semiestruturada. Utilizou-se a análise de conteúdo na modalidade temática. Resultados: O trabalho em saúde, no cenário estudado, está fragmentado, reproduz o modelo médico-centrado e restringe o escopo de ações da Estratégia Saúde da Família. Destaca-se o vínculo, as ações orientadas à comunidade e formação profissional voltada para as novas necessidades do trabalho em saúde como elementos que podem qualificar o atendimento na Atenção Primária à Saúde. Conclusão: Apesar da implantação da Estratégia Saúde da Família, no município estudado, há quase duas décadas, sua função de reestruturadora do modelo de atenção ainda apresenta fragilidades. Os agentes do trabalho reconhecem a necessidade de mudança, mas mantêm articulação das ações cotidianas sem transformações de ordens simbólicas. Há evidências de práticas exitosas que, se incorporadas às práticas de atenção à saúde, contribuirão para a qualificação da assistência e mudança do modelo de atenção à saúde.

Palavras-chave


Estratégia Saúde da Família; Atenção Primária à Saúde; Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3488

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175