Melhores práticas de enfermagem: potencialidades e desafios em um contexto assistencial

Mônica Ludwig Weber, Carine Vendruscolo, Edlamar Kátia Adamy, Letícia de Lima Trindade, Ivonete Teresinha Schulter Buss Heidemann, Daisi Rosset

Resumo


Objetivo: compreender as potencialidades e desafios no desenvolvimento de melhores práticas de enfermagem em um contexto assistencial. Método: estudo qualitativo, pautado no referencial metodológico de Paulo Freire, a partir das etapas: investigação temática, codificação e decodificação e desvelamento crítico, realizado por meio de três Círculos de Cultura. Participaram 17 enfermeiros atuantes em serviços de atenção primária, secundária e terciária, em três municípios, entre os meses de junho a agosto de 2018. Resultados: apesar dos inúmeros desafios que envolvem as práticas, como a falta de diálogo entre enfermeiros e com equipe multiprofissional, além da pouca familiaridade com as dimensões (tríade) das melhores práticas, destacaram-se como potencialidades: a liderança da enfermagem, o vínculo com o usuário, entre outros. Conclusão: os enfermeiros buscam aprimorar suas práticas naquele contexto, contudo, faz-se necessário estabelecer a comunicação entre eles em espaços dialógicos, que despertem a avidez pela busca e compartilhamento do saber, na direção das melhores práticas. Com o uso de metodologias crítico reflexivas como os Círculos de Cultura comprovou se uma oportunidade para a problematização do processo de trabalho, podendo contribuir para o diálogo e a reflexão.

Palavras-chave


Serviços de Saúde; Enfermagem; Assistência Integral à Saúde; Padrões de Prática em Enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3504

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175