Drogas utilizadas na desobstrução de cateter venoso central de longa permanência em oncologia: revisão sistemática

Christiane Inocencio Vasques, Daniella Soares dos Santos, Paula Elaine Diniz dos Reis, Giovana Paula Rezende Simino, Emília Campos de Carvalho

Resumo


O objetivo desta revisão sistemática da literatura foi identificar quais drogas e doses efetivas são utilizadas para tratar a obstrução de CVC-LP, visto que é uma complicação frequente relacionada ao dispositivo.  A busca foi realizada com descritores controlados e não-controlados nas bases de dados LILACS, CINAHL, Cochrane e Pubmed e cinco drogas foram identificadas. Os resultados apontaram que a uroquinase desobstrui 50% dos cateteres tratados; já a alteplase se mostrou superior. A reteplase numa dose de 0,2 UI/mL é capaz de desobstruir 60% dos cateteres tratados. No entanto, a tenecteplase e alfimeprase foram superior às demais drogas em relação ao tempo de desobstrução. Tendo em vista o número expressivo voltado para a avaliação dos ativadores de plasminogênio tecidual, sugere-se que o uso destas drogas tem sido mais indicado que o da uroquinase. 


Palavras-chave


cateterismo venoso central, cuidados de enfermagem, ativadores de plasminogênio tecidual, enfermagem oncológica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v0i0.359

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175