Representações sociais de mulheres idosas sobre o envelhecimento

Hanna Gadelha Silva, Jéssica de Menezes Nogueira, Edson Batista dos Santos Junior, Daisy Teresinha Reis Coutinho, Maria Célia de Freitas

Resumo


Objetivo: Apreender as representações sociais de mulheres idosas sobre o envelhecimento. Método: Trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva, qualitativa e fundamentada na Teoria das Representações Sociais. O estudo foi realizado com 10 idosas, utilizando como coleta de dados um Formulário Sociodemográfico e a entrevista em profundidade. O material discursivo foi organizado com o auxílio do software IRAMUTEQ 0.7 e analisado por meio da interpretação da Análise de Similitude. Resultados: O termo não foi o que mais se destacou e apresentou um maior número de conexões com os termos: andar, direito, passear, sair, conversar, amigo, missa, igreja, querer, sentir, pensar, cuidar, olhar, comportamento, dentro-casa, antes, agora, diferença. Desse modo, as idosas ancoraram o termo envelhecimento às perdas funcionais e limitações, relacionadas a atividades que não conseguem mais realizar devido ao envelhecimento. As idosas também ancoraram o envelhecimento principalmente nos aspectos negativos físicos (doença, osteoporose, remédio, cansaço), psicológicos (triste, estresse, medo, sofrer) e sociais (desrespeitar, abandonar, respeitar, criar, filho, neto). Conclusão: Por fim, a Enfermagem pode desenvolver cuidados e ações educativas a partir das demandas sociais identificadas pelas representações sociais das mulheres idosas.

Palavras-chave


Envelhecimento; Idoso; Mulheres; Enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3821

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175