Vivências das famílias no cuidado aos recém-nascidos prematuros no domicílio: revisão sistemática qualitativa

Melissa Joice de Abreu Felizardo, Nayara Luiza Henriques, Juliana Barony da Silva, Maísa Mara Lopes Macêdo, Zaida Borges Charepe, Elysângela Dittz Duarte

Resumo


Objetivo: Analisar como as famílias vivenciam o cuidado domiciliar às crianças prematuras egressas da Unidade de Terapia Intensiva
Neonatal. Método: Revisão sistemática qualitativa, realizada em 7 bases eletrônicas de dados e construída conforme as diretrizes
propostas pelo Joanna Briggs Institute e o guia internacional PRISMA. Incluiram-se 27 estudos, considerando-se: tipo de estudo; ano
de publicação; idioma; população e contexto do estudo e artigos disponíveis em full text. Os estudos incluídos foram avaliados quanto
à qualidade metodológica e, posteriormente, lidos na íntegra. Os dados qualitativos extraídos foram agrupados em códigos e,
seguidamente, analisados. Resultados: O cuidado às crianças prematuras egressas da UTIN exige mudanças na organização familiar
e os profissionais de saúde são identificados como a principal fonte de informação e segurança. Nota-se o envolvimento de todos os
membros da família nos cuidados iniciais, e a criança torna-se o foco da família, que compartilha sentimento de alegria e felicidade,
medo e insegurança no que tange aos cuidados com as crianças. Conclusão: A proximidade com o filho após a alta é relatado pelos
pais como positivo, entretanto, o cuidado pode ser permeado por dificuldades e incertezas, reforçando a importância do apoio dos
familiares e dos profissionais de saúde.

Palavras-chave


Recém-nascido Prematuro; Família; Assistência Domiciliar; Alta do Paciente; Cuidado do Lactente.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3906

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175