Contrarreferenciamento farmacoterapêutico: experiências vivenciadas por profissionais de saúde em um hospital de ensino

Josiane Moreira da Costa, Kênia Lara Silva

Resumo


Objetivo: Compreender o processo de contrarreferenciamento farmacoterapêutico na rede de cuidados, a partir das experiências de profissionais de saúde. Método: Estudo qualitativo, fundamentado na sociologia compreensiva, desenvolvido em um hospital de ensino, sendo entrevistados 14 profissionais de saúde. A coleta de dados ocorreu, por meio de entrevistas, realizadas a partir de um roteiro semiestruturado. Realizou-se análise de conteúdo e identificação de categorias. Resultados: Identificaram-se as categorias os "des"caminhos do referenciamento e em busca de um contrarreferenciamento possível, em que o contrarreferenciamento apresenta-se como uma ação frágil, influenciado pelo medo da reinternação, questões de acesso e, principalmente, fragilidade dos processos de comunicação. Quanto às possibilidades de melhoria, têm-se preparação da alta com antecedência, reconhecimento das subjetividades dos pacientes e fortalecimento da comunicação. Considerações finais: O contrarreferenciamento é construído a partir das relações e vivências dos atores sociais, sendo que ocasiona impacto no processo de cuidado, devendo ser fortalecido.

Palavras-chave


Assistência Hospitalar. Uso de Medicamentos; Continuidade da Assistência ao Pacient; Assistência à Saúde; Acesso aos Serviços de Saúde; Enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v11i0.3942

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175