Bioética e a alocação de recursos nos cuidados paliativos durante a pandemia de COVID-19: percepção de profissionais de saúde

Priscila Kelly Silva Neto, Juliana Dias Reis Pessalacia, Elton Fogaça da Costa, Paulo Roberto Haidamus de Oliveira Basto, Luciana Regina Ferreira da Mata, Sandra Pinto

Resumo


Objetivo: analisar a percepção de profissionais de saúde sobre as questões bioéticas na tomada de decisão acerca dos recursos escassos no contexto dos Cuidados Paliativos (CP) durante a pandemia de COVID-19 no Brasil. Métodos: estudo transversal, descritivo e de abordagem quantitativa, realizado por meio de um questionário online contendo quatro afirmativas sobre os dilemas éticos para que os participantes pudessem concordar ou não com as mesmas, totalizando um escore máximo de 20 pontos. Os dados foram tabulados e analisados por meio de estatística descritiva, utilizando-se o software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 25.0. Resultados: participaram 190 profissionais de saúde, 45,3% (86) enfermeiros, 23,7% (45) médicos, 10,5% (20) dentistas e 12,6% (24) outros profissionais de saúde. Identificaram-se os seguintes percentuais de erros: restrição do acesso a Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) (93 - 48,9%), disponibilização de ventiladores (117 - 61,6%), decisão de triagem para recursos escassos (158 – 83,2%), interrupção do atendimento a pacientes crônicos e paliativos na pandemia (11 – 5,8%). Conclusão: os resultados demonstram que os profissionais ainda apresentam conhecimento insuficiente sobre critérios de justiça e equidade na alocação de recursos escassos e que há necessidade de educação permanente no assunto voltado à temática.

Palavras-chave


Bioética; Equidade em Saúde; Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde; COVID-19; Cuidados Paliativos

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.4167

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175