Prevalência de síndrome metabólica em mulheres acima de 40 anos de Divinópolis-MG

Ana Cláudia Teixeira, Cláudia Di Lorenzo Oliveira, Maria José Nunes de Paiva, Maria Emília Soares Martins dos Santos, Márcio Alexandre Hipólito Rodrigues, Eliana Petri-Nahas, Paulo Afonso Granjeiro

Resumo


Objetivo: Avaliar a prevalência da síndrome metabólica (SM) em mulheres com mais de 40 anos, comparando dois critérios internacionais. Métodos: Estudo descritivo transversal, de base populacional, envolvendo 93 mulheres, com idade entre 40 a 59 anos, acompanhadas em Unidades Básicas e Programas de Saúde da Família de Divinópolis-MG. Foram realizadas avaliações clínicas, antropométricas e bioquímicas. Para o diagnóstico de SM foram empregados dois critérios internacionais: Adult Treatment Panel III of the National Cholesterol Education Program (NCEP/ATP III) e International Diabetes Federation (IDF), que utilizam a presença de três ou mais dos seguintes critérios alterados: circunferência da cintura (CC), triglicerídeos (TG), HDL, pressão arterial e glicemia. Resultados: Foram avaliadas 93 pacientes, 54 mulheres entre 40 a 49 anos (58,7%) e 39 entre 50 a 59 anos (41,3%). O parâmetro individual mais alterado foi CC para ambos os critérios. De acordo com NCEP/ATP III, 40,8% das participantes foram diagnosticadas com SM e 53.7% pelo IDF. Faixa etária de 50-59 apresentou maior prevalência de SM por ambos critérios. Demonstrou-se aumento de risco para SM com tabagismo, diabetes e hipertensão em ambos os critérios. Boa concordância entre os critérios da NCEP ATP III e IDF (k=0,74). Conclusão: IDF foi o critério com maior prevalência para SM, mas com boa concordância com o NCEP/ATPIII. Faixa etária de 50-59 apresentou maior prevalência de SM por ambos critérios quando comparados com faixa de 40-49 anos.

Palavras-chave


Prevalência; Síndrome Metabólica; Mulheres; NCEP/ATP III; IDF

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.469

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175