Promoção da saúde no cotidiano das equipes de saúde da família: uma prática intersetorial?

Alda Martins Gonçalves, Verônica Amorim Rezende, Roseni Sena, Natália Horta

Resumo


Este artigo apresenta resultado de estudo que teve por objetivo analisar as ações intersetoriais de saúde identificadas nas práticas de profissionais integrantes da Estratégia de Saúde da Família. Os dados foram gerados a partir da pesquisa: “Concepções de promoção da saúde na equipe de saúde da família”. Estudo de abordagem qualitativa, descritivo-exploratória. Os sujeitos da pesquisa foram 28 integrantes de Equipes de Saúde da Família dos municípios de Belo Horizonte e Contagem. Utilizaram-se, como instrumento de coleta de dados, entrevistas com roteiro semi-estruturado. Os resultados evidenciaram que as ações intersetoriais desenvolvidas são isoladas e pontuais. Demostrou-se um certo distanciamento dos fins políticos da promoção da saúde como um ato de cuidado de saúde. Os profissionais têm pouco domínio do conceito de intersetorialidade. Verifica-se que as parcerias estabelecidas entre os serviços de saúde e outros setores têm pouca sistematização, interferindo na efetividade das ações e nos seus resultados. Conclui-se, também, que as atividades realizadas com enfoque intersetorial são tímidas, comprometendo a consolidação do modelo assistencial que tem como eixo a promoção da saúde, prevenção de agravos, tratamento e reabilitação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v0i0.48

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175