Auto preenchimento da ficha clínica no rastreamento do câncer de colo de útero: percepções da mulher

Carla Cardi Nepomuceno, Betânia Maria Fernandes, Maria Inês Gomes de Almeida, Sandra Carvalho de Freitas, Fernanda Martins Bertocchi

Resumo


Objetivos: analisar a adesão das mulheres ao autopreenchimento da nova ficha clínica da mulher na consulta de enfermagem para o rastreamento  do câncer do colo do útero, além de descrever a percepção das mulheres frente ao autopreenchimento de um novo modelo de ficha clínica nesta consulta.Método: Estudo qualitativo, com 20 mulheres, em uma unidade de atenção primária à saúde de um município da Zona da Mata Mineira em 2012 a 2013. Resultados: O estudo revelou a adesão de 100% de autopreenchimento da ficha clínica. A idade das participantes variou de 20 a 67 anos, com média de 43 anos, 60% destas eram casadas. Grande maioria relatou uma percepção positiva em relação ao autopreenchimento da ficha clínica, tendo esta adesão de 100%. Conclusão: Devido a grande aceitação do autopreenchimento da ficha clínica na consulta de rastreamento do câncer do colo do útero, esta se tornou uma estratégia para estimular a adesão a este atendimento. O que demonstra a necessidade de incorporar novas práticas para aumentar a adesão das mulheres que não realizam esta consulta, seja por aspectos subjetivos relacionados a sentimentos negativos ou devido a exposição da sua história, do seu corpo e de sua vida sexual. 


Palavras-chave


Ficha clínica;Neoplasias do colo de útero; Saúde da mulher; Enfermagem de Atenção Primária

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.825

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175