Síndrome de Burnout em centro de terapia intensiva infantil da região Centro-Oeste de Minas Gerais

Richardson Miranda Machado, Sanya Pedroso Oliveira, Taciana Caldas Ferreira, Cecília Godoi Campos, Nadja Cristiane Lappann Botti, Regina da Consolacao

Resumo


Estudo prospectivo e exploratório, realizado no Centro de Terapia Intensiva Infantil de um Hospital de grande porte da região Centro-Oeste de Minas Gerais, com os objetivos de caracterizar os profissionais de enfermagem, identificar a presença da Síndrome de Burnout e avaliar os fatores de risco relacionados a sua ocorrência. A amostra foi constituída de 36 profissionais de enfermagem, divididos em Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem e Auxiliares de Enfermagem. Perfazendo os turnos de trabalho diurno e noturno. A amostra apresentou 01 profissional (2,7%) com diagnóstico de Síndrome de Burnout, 09 (25%) apresentaram uma dimensão da Burnout alterada e 26 (72,3%) não apresentaram nenhuma dimensão alterada. Sendo considerados como possíveis fatores de risco para a ocorrência da Síndrome de Burnout, a idade ente 20 e 30 anos, solteiros, sem filhos, com poucos anos de atuação, turno de trabalho diurno e sedentarismo.


Palavras-chave


Síndrome de Burnout, Enfermagem; Unidades de Terapia Intensiva; Epidemiologia

Texto completo:

DOC PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.83

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175