Aspectos epidemiológicos do tétano acidental em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 2001-2006

Lúcio José Vieira, Scheila Tompai Marinho

Resumo


O objetivo deste trabalho é conhecer o perfil epidemiológico dos casos confirmados de tétano acidental em Belo Horizonte, Minas Gerais, no período de 2001 a 2006. Os dados foram obtidos por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). A metodologia utilizada foi a descritiva, retrospectiva e transversal. Ao analisar os 12 casos ocorridos na série histórica, verificou-se que a incidência variou entre 0,04 a 0,16 casos por 100.000 habitantes.  No sexo feminino a maior incidência encontrada foi na faixa etária de 50 |-- 64 anos (2,09/100.000 hab.), enquanto que no sexo masculino a maior incidência foi na faixa etária maior de 65 anos (3,68/100.000 hab.). Considerando-se que o tétano acidental é um agravo de fácil prevenção por meio da vacinação gratuita é necessário que se ampliem as campanhas que visam à maior cobertura vacinal. E que os profissionais de saúde se atentem para a necessidade de se conferir o esquema vacinal de todo paciente que procura atendimento nas unidades de saúde do SUS, para que possamos evitar as oportunidades perdidas de vacinação. Outros estudos como este devem ser realizados, a fim de se conhecer melhor a situação epidemiológica da doença em nosso país.



Palavras-chave


Tétano Acidental, Epidemiologia, Prevenção e Controle

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.84

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175