Mortalidade por doença falciforme em estado do nordeste brasileiro

Jéssica Teixeira Ramos, Fernanda Soares de Amorim, Fabiana Késia Ferreira Pedroso, Amanda Chrislane Carneiro Nunes, Marcela Andrade Rios

Resumo


Estudo epidemiológico com o objetivo de descrever o perfil epidemiológico dos óbitos por transtorno falciforme na Bahia (2011). Trata-se de um descritivo e transversal baseado em dados de óbitos por transtornos falciformes, obtidos através do Sistema de Informações sobre Mortalidade, com o acesso ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus). Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva. Dentre os casos de óbitos, 52,7% foram em mulheres, prevalecendo à raça/cor parda (55,4%). A maioria dos indivíduos tinha entre 20 a 29 anos (21,6%). 86,5% dos óbitos ocorreram no hospital. Quando analisada a variável município, Salvador (18,9%) apresentou maior número de óbitos. Foi encontrada subregistro para algumas variáveis. Ressalta-se a importância do desenvolvimento de mais estudos sobre mortalidade por DF, para que seja possível traçar o perfil do portador do gene e possibilitar aos profissionais de saúde mais dados para que possam traçar estratégias para uma assistência mais efetiva a estes indivíduos. Descritores: Mortalidade; Anemia Falciforme; Perfil Epidemiológico.


Palavras-chave


Mortalidade; Anemia Falciforme; Perfil Epidemiológico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.859

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175