Saberes e práticas de acadêmicos sobre os sistemas de classificação de enfermagem

Graziele Ribeiro Bitencourt, Fabricio Moura Oliveira, Rosimere Ferreira Santana, Dalvani Marques, Isamara da Conceição Moraes da Rocha, Ana Carla Dantas Cavalcanti

Resumo


Objetivo: analisar os saberes e práticas dos acadêmicos sobre o uso das classificações em enfermagem. Método: estudo descritivo, do tipo Survey, com 58 graduandos em enfermagem do sétimo (18), oitavo(20) e nono(20) períodos de uma Universidade Pública do Estado do Rio de Janeiro. Para tanto, utilizou-se um questionário semiestruturado, analisado por estatística descritiva simples e análise de conteúdo do tipo temática. Resultados: dentre as classificações mais citadas pelos discentes estão: Nanda-I(58), NIC(55), NOC(55) e CIPE(56). Quanto ao uso dos sistemas de classificação, destaca-se como ponto positivo a associação entre o uso das classificações e a agilidade do processo de enfermagem (10) e como ponto negativo a dificuldade de manuseio dos livros(13). Conclusão: o ensino das classificações foi descrito segundo uma trajetória crescente de aprendizagem, possibilitando, com isso, uma associação entre a teoria e a prática, e a aplicabilidade do uso das classificações favorece ainda a tomada de decisão clínica. 


Palavras-chave


Enfermagem; Classificação;Educação superior; Processo de enfermagem; Diagnóstico de enfermagem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v6i2.969

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175