O significado de morar em um serviço residencial terapêutico

Maria do Perpétuo Socorro Sousa Nóbrega, Thiago Fernandez de Melo Veiga

Resumo


Objetivo: descrever o significado de morar em um Serviço Residencial Terapêutico na perspectiva de egressos de internação psiquiátrica. Método: trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada com 13 moradores de duas Residências Terapêuticas. Os dados foram obtidos por meio de entrevista em profundidade e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: emergiram duas categorias que ilustram a visão dos moradores: Residência Terapêutica: um lugar de direitos e escolhas; Residência Terapêutica: um lar ou uma casa de passagem? Conclusão: os moradores relatam satisfação e reconhecem a Residência Terapêutica como um espaço para uma vida mais independente. Devido à marcante herança asilar enfrentam dificuldades para apropriar-se de um espaço para chamar de seu, progressivamente retomam a vida em comunidade e enfrentam desafios para empoderar-se e fazer escolhas. Como um dos dispositivos do processo de Reabilitação Psicossocial a Residência Terapêutica representa um espaço para construção da autonomia, independência e inclusão social de pessoas com transtornos mentais. 


Palavras-chave


Moradias assistidas; Desinstitucionalização; Saúde Mental; Serviços de Saúde Mental

Texto completo:

Port Eng


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v7i0.1388

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175