Propriedades psicométricas da escala de solidão da UCLA: revisão integrativa

Tatiane Prette Kuznier, Cristiane Chaves de Souza, Luciana Regina Ferreira da Mata, Tânia Couto Machado Chianca

Resumo


Objetivo: analisar produções científicas acerca das propriedades psicométricas da Escala de Solidão da UCLA. Método: revisão integrativa da literatura, entre 1978 e 2014, nas bases de dados LILACS, Cochrane, MEDLINE, CINAHL, Web of Science e PsycINFO. Resultados: o alpha de Cronbach variou de α=0,71 a α = 0,92 entre as versões, com exceção da versão reduzida ULS-4 que apresentou α =0,31 a α = 0,45. Houve falta de consenso entre os pesquisadores, tendo alguns definido a escala como unidimensional, enquanto outros como tendo dois ou mais fatores. Foi encontrada relação negativa entre a Escala de Solidão da UCLA e medidas de apoio social, disposição social, autoestima, satisfação com a vida, suporte social, medida de pertencimento percebido, autoconceito, autoavaliação de atratividade física e felicidade e relação positiva com ansiedade social, timidez e depressão. Conclusão: as evidências científicas comprovam as qualidades psicométricas da Escala de Solidão da UCLA, com exceção da ULS-4. 


Palavras-chave


Psicometria; Estudos de validação; Validade dos testes; Reprodutibilidade dos testes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v6i2.1399

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175