Cuidados e limitações no manejo do cateter central de inserção periférica em neonatalogia

Andressa Marcelly Lourenço Lui, Adriana Zilly, Andrea Ferreira Ouchi França, Helder Ferreira, Ana Paula Contiero Toninato, Rosane Meire Munhak da Silva

Resumo


Objetivo: Identificar evidências científicas que investiguem os cuidados e limitações no manejo do Cateter Central de Inserção Periférica
em neonatologia. Método: Revisão integrativa da literatura, realizada na Biblioteca Virtual, em Saúde, considerando as publicações
disponíveis no período 2007 a 2016, que retratassem a experiência brasileira. Foram selecionadas 24 publicações. Resultados: Dentre os
cuidados para inserção do cateter, o conhecimento teórico-prático foi o de maior relevância, seguido por contenção da dor; orientação e
consentimento familiar; escolha do sítio de inserção e mensuração do cateter; uso de barreira máxima e preparo do membro. Os cuidados
para manutenção incluíram: educação permanente da equipe; técnicas assépticas para manuseio e realização de curativo; higienização das
mãos e lavagem do cateter com solução salina 0,9%. As limitações que se destacaram: infecção, flebite bacteriana; obstrução; ruptura;
perda acidental; extravasamento; não progressão; dificuldade de acesso vascular; posicionamento da ponta do cateter; tipo de cateter,
flebite química ou mecânica. Conclusão: Aprimorar as ações de enfermagem por meio da educação permanente contribui para que a
assistência torne-se efetiva, contínua e proativa. Ressalta-se também a necessidade de estudos com melhores níveis de evidência científica
em relação ao manejo do Cateter Central de Inserção Periférica em neonatologia.

Palavras-chave


Cateterismo venoso central; Cateterismo periférico; Enfermagem neonatal.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v8i0.1918

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175