A influência da situação conjugal no suporte social em pessoas infectadas pelo HIV

Stela Maris de Mello Padoin, Maressa Claudia de Marchi, Wendel Mombaque dos Santos, Jacqueline Silveira de Quadros, Tassiane Ferreira Langendorf, Cristiane Cardoso de Paula

Resumo


Objetivo: Avaliar a influência da situação conjugal no suporte social percebido por pessoas infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Método: Estudo de delineamento transversal, realizado com 179 participantes. Para coleta de dados, utilizou-se a Escala de Suporte Social para pessoas infectadas pelo HIV. Como variável dependente, o suporte social percebido, e como variáveis independentes, as características sociais, demográficas e clínicas. Realizada análise descritiva das variáveis, Teste de Jonckheere-Terpstra e regressão logística. Resultados: Conviver com esposo(a) ou companheiro(a) é fator de proteção quando comparado a ser solteiro(a) ou separado(a), divorciado(a) ou viúvo(a), de forma que a chance de proteção é de 8,84 vezes (IC: 3,43 – 14,25) para o suporte social geral, 5,54 vezes (IC: 2,54 – 8,54) para suporte social emocional, e 4,31 vezes (IC: 0,97 - 7,65) para suporte social instrumental. Conclusão: Ter companheiro(a) é fator de proteção para manutenção do suporte social. Essa avaliação contribui para identificar dificuldades na adesão ao tratamento antirretroviral e elaborar estratégias de enfrentamento da doença e manutenção de comportamentos favoráveis à adesão.

Palavras-chave


HIV; Apoio Social; Estado Conjugal; Adesão à Medicação; Adulto

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v8i0.2485

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175