Diagnóstico de enfermagem na recuperação cirúrgica retardada em idosos: estudo de casos múltiplos

Paula Vanessa Peclat Flores, Déborah Marinho Da Silva, Shimmenes Kamacael Pereira, Ana Carla Dantas Cavalcanti, Juliana de Melo Vellozo Pereira, Rosimere Ferreira Santana

Resumo


Objetivo: Descrever as características definidoras e fatores relacionados ao diagnóstico de enfermagem na recuperação cirúrgica retardada em idosos pós-cirúrgicos de gastrectomia e colectomia. Método: Estudo descritivo de casos múltiplos, realizado em dois hospitais públicos do Rio de Janeiro, Brasil, de agosto/2014 a abril/2015. Os sujeitos do estudo foram 10 idosos, acompanhados por 60 dias, por meio de cinco entrevistas sobre variáveis do diagnóstico. A análise descritiva apresentou os cálculos de média, desvio padrão e percentual; e para análise e síntese dos dados diagnósticos adotou-se o modelo de Risner. Resultados: os pacientes foram, majoritariamente, do sexo masculino (70%); média de idade 70,1 ± 6,8; dias pós-operatório 63,8 ± 42,8. Os fatores relacionados aos casos foram: procedimento cirúrgico extenso (100%); dor (80%); e infecção pós-operatória no local da incisão (50%). Esses se ajustaram às características definidoras: adiamento ao retorno às atividades de trabalho/emprego (100%); evidência de interrupção na cicatrização da área cirúrgica (70%); dificuldade para movimentar-se (50%); ajuda no autocuidado (50%), ratificado o retardo na recuperação cirúrgica. Conclusão: Recomenda-se investigação precoce em idosos com risco de desenvolver o diagnóstico para o estabelecimento de ações assertivas de enfermagem.

Palavras-chave


Idoso; Enfermagem perioperatória; Diagnóstico de enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v8i0.2519

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175