A experiência da mulher hospitalizada com o recém-nascido na unidade de terapia intensiva neonatal

Ludimila Laranjeiras Barros Rocha, Erika da Silva Dittz, Elysangela Dittz Duarte, Patricia Rodrigues da Costa

Resumo


Objetivo: Conhecer a experiência das puérperas de risco, hospitalizadas com o filho recém-nascido internado na unidade de terapia
intensiva neonatal. Método: Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa, de caráter exploratório. Participaram do estudo
nove puérperas de risco, hospitalizadas. A coleta de informações ocorreu por meio de entrevista semi-estruturada e observação
participante, analisadas conforme referencial da Análise de Conteúdo. Resultados: Emergiram 3 categorias temáticas: as relações
estabelecidas durante a hospitalização; a rede de apoio tecida pela puérpera de risco; os desafios enfrentados pela puérpera de
risco. Conclusão: Durante o processo de internação da puérpera de risco e do seu recém-nascido, essa enfrenta desafios que
abrangem a lida com as mudanças de percurso do parto, do nascimento e da construção da sua maternidade, impostas pela sua
condição clínica e do seu recém-nascido. O estudo aponta a necessidade de construção e fortalecimento de ações de cuidado
voltadas ao bem-estar da puérpera de risco, hospitalizada e com o filho recém-nascido internado na unidade de terapia intensiva
neonatal.

Palavras-chave


Saúde materna; Recém-nascido; Unidades de terapia intensiva neonatal; Relações mãe-filho; Poder familiar

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v8i0.2589

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175