Interface entre saúde e educação no processo de inclusão escolar

Meriele Sabrina de Souza, Rhillary Lorrayne de Souza, Nayara Cristine Protte de Paula, Patrícia Pinto Braga

Resumo


Objetivo: Analisar como se configura a articulação entre profissionais da educação, da saúde e familiares no processo de inclusão
escolar. Método: Estudo qualitativo interpretativo, orientado pelo referencial de Boaventura de Sousa Santos que contou a com
participação de 43 entrevistados. As entrevistas guiadas por roteiro semiestruturado foram submetidas à análise de conteúdo.
Resultados: A análise permitiu identificar três categorias: a família no contexto da inclusão escolar e a relação com a escola; a
atenção à criança no Sistema Único de Saúde na perspectiva dos profissionais da educação e a desarticulação entre profissionais da
educação e da saúde. Conclusão: Há ausência de interação entre a enfermagem e outros profissionais de saúde com a educação.
Na perspectiva dos profissionais da educação e dos cuidadores, as dificuldades relacionadas aos atendimentos de saúde no SUS,
como a demora dos procedimentos e a falta de especialistas, constituem-se em desafios para o processo de inclusão, considerando
que conhecer a condição da criança é um aspecto que favorece adaptações ao seu processo de aprendizagem. Os profissionais
reconhecem que, no cenário de investigação, a articulação entre profissionais da educação e da saúde poderia contribuir,
consideravelmente, para o aprendizado infantil. Entretanto este estudo ressalta a importância da atuação do enfermeiro no
cenário da inclusão escolar com equipe multidisciplinar.

Palavras-chave


Crianças com deficiência; Educação especial; Inclusão educacional; Enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3550

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175