Uso de substâncias psicoativas entre profissionais da enfermagem da atenção básica e instituição hospitalar

Alessandro Rolim Scholze, Andressa Domingues Silva, Júlia Trevisan Martins, Camila Dálcol, Edivaldo Cremer, Emiliana Cristina Melo

Resumo


Objetivo: Comparar o uso de substâncias psicoativas em profissionais da enfermagem da atenção básica e de instituição hospitalar. Método: Estudo transversal, desenvolvido com profissionais de enfermagem, utilizando-se dois instrumentos: caracterização sociodemográfica e ocupacional e o Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test. Na análise dos dados, utilizou-se estatística descritiva e o teste qui-quadrado para verificar as associações. Resultados: O consumo de álcool e tabaco na vida e, nos três últimos meses, foi, proporcionalmente, maior entre profissionais da atenção básica. O uso de sedativos foi maior nas instituições hospitalares, sobretudo o uso na vida (p=0,05). O forte desejo de álcool e sedativos esteve presente entre profissionais das instituições hospitalares e para o tabaco foi maior nos profissionais da atenção básica. Conclusão: Ao comparar, nota-se que houve uso distinto de drogas entre os profissionais das instituições hospitalares e os profissionais da atenção básica.

Palavras-chave


Equipe de enfermagem; Transtornos relacionados ao uso de substâncias; Bebidas alcoólicas; Saúde do trabalhador, Saúde mental.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3737

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175