A qualidade do sono e a fragilidade em idosos: revisão integrativa

Joseane Trindade Nogueira, Jamille Louise Bortoni de Oliveira Lopes, Maria Cristina Sant’Anna da Silva da Silva, Cenir Gonçalves Tier, Miria Elisabete Bairros de Camargo, Letice Dalla Lana

Resumo


Objetivo: Abordar os principais aspectos relacionados à fragilidade e à qualidade do sono em idosos, identificando prevalência,
características clínicas, fatores associados e instrumentos de avaliação. Método: Trata-se de revisão integrativa da literatura. A busca
foi feita nas bases de dados da LILACS, MEDLINE, BDENF, SCOPUS e CINAHL, utilizando os seguintes descritores: idoso fragilizado,
transtorno do sono-vigília, com o conector booleano AND. Foram identificadas 145 publicações e uma amostra de dez estudos foi
obtida. Resultados: Foram identificados cinco (50%) artigos que utilizaram a avaliação de fragilidade de Fried e cinco (50%) que
utilizaram a PSQI para investigar a qualidade do sono. A prevalência de fragilidade encontrada foi 4,14% e 49,3% entre os idosos da
comunidade urbana, rural e Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI). A prevalência da sonolência diurna entre idosos
frágeis foi identificada em seis (60%) artigos. Conclusão: As evidências revelam que a fragilidade e a qualidade do sono são
independentes, porém potencializam o risco para a mortalidade quando associadas.

Palavras-chave


Idoso fragilizado; Transtornos do Sono-Vigília; Idoso; Sono; Enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3835

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175