A qualidade do sono e a fragilidade em idosos: revisão integrativa

Joseane Trindade Nogueira, Jamille Louise Bortoni de Oliveira Lopes, Maria Cristina Sant’Anna da Silva, Cenir Gonçalves Tier, Miria Elisabete Bairros de Camargo, Letice Dalla Lana

Resumo


Objetivo: Abordar os principais aspectos relacionados à fragilidade e à qualidade do sono em idosos, identificando prevalência,
características clínicas, fatores associados e instrumentos de avaliação. Método: Trata-se de revisão integrativa da literatura. A busca
foi feita nas bases de dados da LILACS, MEDLINE, BDENF, SCOPUS e CINAHL, utilizando os seguintes descritores: idoso fragilizado,
transtorno do sono-vigília, com o conector booleano AND. Foram identificadas 145 publicações e uma amostra de dez estudos foi
obtida. Resultados: Foram identificados cinco (50%) artigos que utilizaram a avaliação de fragilidade de Fried e cinco (50%) que
utilizaram a PSQI para investigar a qualidade do sono. A prevalência de fragilidade encontrada foi 4,14% e 49,3% entre os idosos da
comunidade urbana, rural e Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI). A prevalência da sonolência diurna entre idosos
frágeis foi identificada em seis (60%) artigos. Conclusão: As evidências revelam que a fragilidade e a qualidade do sono são
independentes, porém potencializam o risco para a mortalidade quando associadas.

Palavras-chave


Idoso fragilizado; Transtornos do Sono-Vigília; Idoso; Sono; Enfermagem.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3835

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175