Insuficiência cardíaca e crenças dificultadoras na adesão ao tratamento

Thabata Coaglio Lucas, Rosamary Aparecida Garcia Stuchi, Cristina Arreguy-Sena, Claudia Aparecida Fernandes Cordeiro

Resumo


Objetivo: identificar quais os tipos de crenças, segundo o referencial de Rokeach, relacionadas à Insuficiência Cardíaca e os dificultadores da adesão ao tratamento. Método: estudo qualitativo em que entrevistas semiestruturadas foram aplicadas aos participantes. Para análise das crenças, utilizou-se o referencial de Rokeach 1981. Resultados: foram entrevistados 26 pacientes da Estratégia de Saúde da Família e, dos entrevistados, 88% tinham Hipertensão Arterial Sistólica, 35% colesterol elevado e 35% Infarto Agudo do Miocárdio prévio. As crenças dos tipos B e A foram as mais predominantes (88%) relacionadas à doença, as quais consistiam em crenças primitivas e de difícil modificação. Conclusão: as crenças dos tipos A e B dificultavam a adesão ao tratamento. Os fatores dificultadores identificados, como falta de acesso ao serviço, interação médico-paciente e mudanças de hábitos alimentares e estilo de vida, deveriam ser temas de intervenções efetivas de educação e treinamento dos profissionais de saúde.

Palavras-chave


Insuficiência cardíaca; Adesão à medicação; Aceitação pelo paciente de cuidados de saúde.

Texto completo:

PORT ENG


DOI: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v7i0.1871

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175